por João Rodrigues

Artista plástica formada pela faculdade Dulcina de Moraes com pós-graduação em Design Gráfico e Editorial pelo IESB, Verônica Saiki é uma artista multitarefa que gosta de explorar as várias linguagens da suas áreas artísticas. “Eu adoro fazer ‘n’ projetos, como ilustrações de livros infantis, trabalhar com esculturas, etc”.

Além desses trabalhos, que faz por conta própria e para clientes, Verônica também atua na área dos quadrinhos. Nascida e naturalizada em Brasília, ela é autora da série Verdugo - O Inacreditável. Criado em 2002, o personagem foi publicado em fanzines de 2007 a 2009, e em duas edições de 24 páginas pela editora Júpiter2 em 2014. 

Agora, Verônica fez uma grande conquista: Sua nova obra, Verdugo - O Inacreditável: Procurados, não só está disponível fisicamente como também digitalmente na plataforma Social Comics, aplicativo considerado o “Netflix dos quadrinhos”. Assim como a plataforma de vídeos, os assinantes têm acesso a um número determinado de HQs para lerem quando quiserem.


Procurados também será lançado em papel. O lançamento acontecerá no dia 23 de abril, às 16h, na livraria Dom Quixote no Centro Cultural Banco do Brasil. Verônica recebeu a reportagem da Raio Laser enquanto começava os preparativos com antecedência.

"Social Comics para mim foi uma porta gigantesca que surgiu. Logo que eu fiquei sabendo da disponibilidade da plataforma, fiquei curiosa para enviar o meu material e ver como é que seria a repercussão", exalta a autora. A artista estava para lançar a HQ e teve a ideia de oferecer a opção de que seus leitores pudessem ler o gibi digitalmente. 

Desta forma, ela enviou o material do Verdugo para o aplicativo e, para sua surpresa, a resposta saiu rápido. "Como autora, posso dizer que já comecei com o pé direito", comemora.

Verônica também falou um pouco sobre sua relação com os quadrinhos. Ela explica que foi influenciada a desenhar pelos gibis que lia na infância. "Muitas pessoas falam que aprenderam a ler com os quadrinhos. No meu caso, eles me ajudaram a desenhar". 

Seus títulos favoritos eram Turma da Mônica, Tio Patinhas, Pato Donald, os gibis dos seriados Chaves e Chapolin (publicados no Brasil pela editora Globo entre 1991 e 1993), e também tirinhas de jornais. Níquel Náusea, de Fernando Gonsales é sua favorita, pois ela sempre gostou dos que puxavam para uma linha de humor ou que passassem uma mensagem bonita.

As inspirações da artista aparecem ao observar a atitude das pessoas nos lugares aonde vai, além da natureza e dos animais. Ela também sempre carrega consigo Zen em Quadrinhos (lançada pela Ediouro em 1996). "Eu acho muito interessante. Fala de comportamento humano e eu acho isso muito legal. Também me inspiro em livros voltados para temas naturais”. 

Seu traço é voltado para o cartoon, sendo bem simplista e utilizando apenas o preto e o branco na maioria das páginas. Verônica também estudou por conta própria sumi-ê (também chamada de suiboku-ga, ou pintura à tinta, arte japonesa que tem sua origem e influência na caligrafia chinesa). 
A artista possui uma loja virtual onde vende seus diversos trabalhos no mundo das artes plásticas. São quadrinhos e produtos baseados no Verdugo, caricaturas e/ou cartoons personalizados para noivos, etc.

Questionada sobre futuros projetos para o mundo dos quadrinhos, Verônica demonstrou empolgação: “A plataforma Social Comics abriu um leque. Pretendo fazer outros quadrinhos, estou com umas ideias, uns projetos”.

0 comentários

Postar um comentário

 
Back to Top